"O PÓ DAS SANDÁLIAS"
Espírito da Verdade - Alziro Zarur
P – No mesmo capítulo, disse Jesus aos seus discípulos: “Quando encontrardes pessoas que não vos queiram receber nem escutar, sacudi – ao vos retirardes – a poeira dos vossos pés, a fim de que isso constitua um testemunho contra elas. Em verdade vos digo; no dia do juízo haverá menos rigor para Sodoma e Gomorra do que para essa cidade”. Perguntamos ao Espírito da Verdade: – Quais são, despojados da letra o Espírito, o sentido e alcance dessas palavras?


R – Tais palavras, segundo o pensamento do Mestre, foram ditas para aquela época e para os tempos vindouros. Dirigiam-se, não só aos discípulos de então como também aos que viriam a ser discípulos na Era Nova. Aqueles, quem o Senhor envia a Luz e que recusam aceitá-la, são mais culpados que os infelizes, imersos nas trevas, QUE NENHUM SOCORRO DIRETO RECEBEM PARA SAIR DELAS. Não vos conserveis perto dos primeiros: não percais vosso tempo que é precioso: ide pois trabalhar sempre na Vinha do Senhor. Ela se abre em aléias diante de vós e borda o caminho, mas nem todas as cepas são boas. Ao tentardes melhorar aquelas que vos pareçam estéreis, se virdes que – apesar de todos os vossos esforços – não dão fruto algum, deixai-as se tempo ainda não chegou. Passai a outras em que, com inteligentes e afetuosos cuidados, podereis observar o desenvolvimento dos sucos, que dão força e vida. Não percais o vosso tempo. Trabalhai sempre com ardor. MAS TRABALHAI CAMINHANDO PARA FRENTE, POIS TENDES DE PERCORRER ESTRADA MUITO LONGA PARA CHEGARDES AO FIM. Sim no dia do juízo, haverá menos rigor para Sodoma e Gomorra, isto é para com os Espíritos culpados que, afogados nas trevas, não tiveram socorro direto para saírem delas, do que para os Espíritos rebeldes que recusaram receber a Luz que o Mestre, ainda hoje, lhes envia por meio de seus novos discípulos. Sim, quem rejeitou os socorros para se tornar melhor É UM ESPÍRITO OBSTINADO NO MAL, E LONGA SERÁ POR ISSO, A DURAÇÃO DAS SUAS PROVAS E EXPIAÇÕES: INFINIDADE DE SOFRIMENTOS CORRESPONDENDO A INFINIDADE DE FALTAS. Quer dizer: os sofrimentos ou torturas morais, apropriados e proporcionais às faltas, ao grau de culpabilidade, suportados na erraticidade após a morte, ao fim de cada existência sucessiva, e a reencarnação nos mundos inferiores, SE REPRODUZIRÃO, PARA O ESPÍRITO CULPADO, ATÉ QUE POR MEIO DE PROVAÇÕES BEM SOFRIDAS, DEIXE ELE DE SE MANTER REBELDE À LEI DE REPARAÇÃO E DE PROGRESSO, SEGUNDO A QUAL SE PURIFICARÁ PARA TOMAR LUGAR ENTRE OS BONS ESPÍRITOS; ISTO OCORRERÁ QUANDO, POR SE HAVER TORNADO INCAPAZ DE PRATICAR O MAL, SÓ DESEJE PRATICAR O BEM.

"QUEM É JUSTO"
Espírito da Verdade - Alziro Zarur



Entrando na casa do justo, os discípulos pediam as bênçãos do Senhor e, portanto, A PROTEÇÃO DOS BONS ESPÍRITOS PARA AQUELE QUE OS ACOLHEU. Se, no entanto, era falsa a apreciação humana, se o homem considerado justo por seus irmãos era velhaco e mentiroso, um rematado hipócrita, COMO O HOMEM PODE ILUDIR OS OUTROS MAS NÃO ILUDE A DEUS, AS BENÇÃOS – EM VEZ DE DESCEREM SOBRE ELE – CAÍAM SOBRE O QUE SE MOSTRAVA DIGNO DELAS. Afastavam-se do falso e se aproximavam do puro. Quereis saber quem é justo, e nós respondemos: O JUSTO É AQUELE QUE SE ESFORÇA POR TRILHAR O CAMINHO DO MESTRE E JAMAIS SAIR DELE. É aquele que pratica as virtudes impostas ao homem como condição para chegar a Deus; o que pratica a verdadeira Caridade do Novo Mandamento; o que se oculta, vela seus atos e palavras, se faz humilde no SEGREDO DO CORAÇÃO, porquanto – se sois caridosos, mas confiais em que praticastes um ato meritório DE QUE OS OUTROS NÃO SERIAM CAPAZES – insignificante é o vosso mérito! O justo é aquele que faz o Bem sem egoísmo, sem idéia preconcebida, sem esperar o reconhecimento dos beneficiados ou o louvor dos indiferentes e, ainda mais, SEM CONTAR COM A RECOMPENSA DO MESTRE. O justo é aquele que tem a fé inabalável, que a tudo resiste, que não se impõe pela força, mas se patenteia na prática das boas obras, pela palavra e pelo exemplo. A fé que pode levar os outros homens a dizerem dele: - Por que não tenho a sua fé? Eis aí um JUSTO AOS OLHOS DE DEUS!
"A INSTRUÇÃO ESPIRITUAL"
Espírito da Verdade - Alziro Zarur

P – Como o Espírito da Verdade está procedendo à revisão das Revelações conhecidas, gostaríamos de saber – face nos termos dos versículos 9 e 10 de Mateus, 8 e 9 de Marcos, 3 de Lucas – quais foram, NA REALIDADE, as palavras ditas por Jesus e qual o seu significado real. É possível?

R - As palavras realmente ditas pelo Mestre são: “Não tenhais e não leveis convosco nem alforje, nem pão, nem ouro, nem prata, nem moeda nos vossos cintos; não tenhais duas túnicas; toma um bordão, para vos apoiardes durante a viagem, e colocai aos pés sandálias para suportardes a caminhada”. Por essa ordem, diretamente dada aos seus Apóstolos, O CRISTO ENSINAVA A HOMENS MATERIAIS O DESPREZO DOS BENS TERRENOS E A CONFIANÇA INABALÁVEL NA PRESENÇA E NO PODER DE DEUS. Para os homens dos vossos dias, mas principalmente para vós, consideradas aquelas palavras como ditas por Jesus tendo em vista o futuro, o ensino é este: “Não ligueis vossa missão as coisas transitórias, mas aquelas que não perecem; não cuideis antecipadamente de vos proverdes de erudição e ciência humana, E SIM DE VOS INSTRUIRDES NO QUE CONDUZ A VIDA ETERNA.” Não quer isto dizer que vos concitamos a desprezar os estudos e os cuidados que a vossa existência reclama. Esta apresenta exigências, a que vos deveis submeter: é uma obrigação a cumprir MAS NÃO DEVEIS TORNÁ-LAS O OBJETIVO ÚNICO DE TODA A VOSSA VIDA. Armazenai, portanto, pão que sustenta o corpo, tanto para vós como para os vossos irmãos que não tiverem podido fazer o mesmo; MAS ARMAZENAI, SOBRETUDO, O PÃO DA VIDA. Sim deveis adquirir a instrução necessária ao desenvolvimento da vossa inteligência. MAS TRATAI DE ADQUIRIR, PRINCIPALMENTE, A INSTRUÇÃO ESPIRITUAL QUE VOS LEVARÁ AO BOM TÊRMO DA VOSSA MISSÃO – EVANGELIZAR E APOCALIPTIZAR AS MASSAS TÃO NECESSITADAS DE AMPARO NA HORA DO PRÓXIMO E ÚLTIMO ARMAGEDON DESTE CICLO.



"HONESTIDADE NAS COISAS DE DEUS"
Espírito da Verdade - Alziro Zarur

P – Os ensinamentos do Espírito da Verdade são de uma clareza meridiana. Por isso, perguntamos ao Paráclito: – Qual o sentido das palavras de Jesus: “Dai de graça o que de graça recebeis”?
R – No pensamento do Mestre essas palavras eram ditas para aquele momento e também para o futuro. A mediunidade ou carisma, as faculdades que os Apóstolos possuíam, a assistência e o concurso dos Espíritos puros e dos Superiores eram, ao mesmo tempo e concomitantemente, os meios pelos quais, no desempenho de suas missões, eles pregavam o Evangelho, anunciavam o Reino de Deus, curavam as moléstias e as enfermidades, ressuscitavam os que eram considerados mortos, expulsava os demônios ou maus Espíritos. E esse carisma, essas faculdades mediúnicas, essa Assistência e esse concurso ERAM UM DOM GRATUITO DE DEUS DIZENDO AOS APÓSTOLOS ”DAI DE GRAÇA O QUE RECEBEIS DE GRAÇA”, JESUS LHES ENSINAVA QUE AS COISAS DE DEUS JAMAIS DEVEM CONSTITUIR OBJETO DE TRÁFICO, DE ESPECULAÇÃO, DE MEIO DE EXISTÊNCIA MATERIAL HUMANA.Isto é: no desempenho das missões de que se achavam investidos, suas palavras e seus atos não deviam ter por móvel senão o amor a Deus, o amor desinteressado ao próximo, a mais completa humildade. Pois aquelas palavras também eram dirigidas aos que – médiuns, investidos de faculdades mediúnicas, para o serviço divino – SERIAM OS INTÉRPRETES E OS INTERMEDIÁRIOS DOS BONS ESPÍRITOS JUNTO DOS HOMENS. Sim, eram dirigidas a todos os que Apóstolos da nova Revelação, inspirados pelos Espíritos do Senhor, seriam chamados a pregar a LEI DE JESUS, QUE É O NOVO MANDAMENTO, EXPLICADA EM ESPÍRITO E VERDADE. O Cristo, por nosso intermédio, diz a todos vós como disse aos Apóstolos: “DAI DE GRAÇA, SEGUINDO-LHE AS PEGADAS, O QUE DE GRAÇA TENDES RECEBIDO”; PORQUANTO, PARA VÓS COMO PARA ELES, TUDO VEM DE DEUS E VOS É DADO DE GRAÇA, A FIM DE CUMPRIRDES HONROSAMENTE A VOSSA MISSÃO.
"O PODER E A AUTORIDADE"
Espírito da Verdade - Alziro Zarur
Os Apóstolos aprovados eram Espíritos evoluídos, encarnados em missão, e que aceitaram as condições rigorosas da primeira fase de suas existências humanas, FASE QUE LHES PRECEDEU A VOCAÇÃO, A FIM DE CONCORREREM PARA A OBRA DE REDENÇÃO DA HUMANIDADE. Em seus trabalhos tiveram o auxílio dos Espíritos Superiores, que os acompanharam sempre, neutralizando neles a influência da carne sobre o Espírito, adicionando-lhes às faculdades aquelas de que dispunham, DESSE CONCURSO RESULTARAM AS GRANDES COISAS QUE OS APÓSTOLOS REALIZARAM, depois da ascensão de Jesus, Eles aceitaram aquela existência humana, cuja primeira parte devia transcorrer em condições tão humildes quanto vulgares, para melhor fazerem sentir a transformação do portageiro, do pescador inspirado, manejado, de todos os idiomas, capaz operar “milagres” à vista das multidões maravilhadas. Assim, Jesus deu aos Apóstolos poder e autoridade sobre todos os maus espíritos, o poder de curar todos os males e enfermidades, de restituir a saúde aos doentes, de ressuscitar os mortos, de purificar os leprosos, de expulsar os demônios (obsessores) - dando-lhes a assistência, e apoio e o concurso dos Espíritos Superiores, sustentados estes pelos Espíritos Puros que tem PODER IMEDIATO sobre todos os Espíritos maus, bem como o de curar todas as enfermidades e RESSUSCITAR OS MORTOS SEGUNDO O ENTENDER DOS HOMENS. Os Apóstolos - já o sabeis - eram médiuns, quer dizer: intermediários dos Espíritos Superiores que os assistiam, junto aos homens. Com o auxilio das faculdades mediúnicas, sob a ação e a influência mediúnicas, é que eles falavam e operavam, contribuindo para a Obra de Regeneração Humana. Para expulsarem os maus Espíritos, isto é, PARA LIBERTAREM OS HOMENS DA SUBJUGAÇAO, TANTO CORPORAL COMO ESPIRITUAL OU MORAL, ORDENAVAM AOS OBSESSORES QUE SE AFASTASSEM DA VITIMA, EMPREGANDO AS MESMAS PALAVRAS DE QUE USAVA O MESTRE: “SAI DESSE HOMEM!” E os obsessores se afastam no mesmo instante, por ato da vontade dos Espíritos Superiores. Para restituir a saúde aos doentes, limpar os leprosos, curar todos os males e enfermidades, impunham as mãos e ungiam com óleo os enfermos, operando pela própria vontade e pela ação magnética humana. Ao mesmo tempo, os Espíritos Superiores, associando sua vontade à deles POR MEIO DO MAGNETISMO ESPIRITUAL, escolhiam e lhes punham, ao alcance, os fluidos apropriados aos eleitos, aos resultados que tinham de ser obtidos, à cura que se havia de operar. Entendei: UNGIAM COM ÓLEO, MUITOS DOENTES APENAS PARA TORNAR A AÇÃO QUE EXERCIAM MAIS COMPREENSÍVEL AOS HOMENS. NENHUMA NECESSIDADE TINHAM, PARA OBTEREM A CURA, DE RECORRER A ESSES MEIOS MATERIAIS, EXTERNOS, PORQUANTO A MÃO DO MAGNETIZADOR HUMANO OU A VONTADE DO CRISTO TERIAM ENVIADO, SEM ISSO AO ORGANISMO DOENTE OS FLUIDOS DE QUE SE ACHAVA CARREGADO O ÓLEO. Aplicando o das oliveiras, usavam dos meios postos a seu alcance, a fim de mostrarem que tudo pode servir para a execução dos desígnios de Deus, quando se tem a fé inabalável. Quanto às palavras “RESSUSCITAI OS MORTOS”, tratai de compreendê-las em Espírito e Verdade. As Leis Naturais, que Deus estabeleceu desde toda a eternidade, são IMUTÁVEIS, e a vontade – também imutável – do Criador NÃO AS DERROGA NUNCA, NEM JAMAIS FORÇA O ESPÍRITO A SE UNIR A PODRIDÃO, ISTO É, AO CADÁVER. Jesus precisava, para o bom êxito de sua missão terrena, para que ela produzisse os devidos frutos naquele momento e no futuro, impressionar fortemente a imaginação dos homens atrasados da época, apropriando, ao mesmo tempo, a linguagem às crenças e os preconceitos dos hebreus. Precisava preparar as gerações que teriam de receber, nos tempos determinados pelo Senhor e quando o indispensável progresso estivesse realizado, a Nova Revelação que fora predita e vos é trazida hoje pelo Espírito da Verdade. O estado cataléptico, reconhecido mais tarde, era quase ignorado dos antigos que, solícitos em afastar de si os focos de infecção, QUEIMAVA SEUS “MORTOS” OU OS ENCERRAVAM EM TÚMULOS, LOGO QUE SE APRESENTAVAM SINAIS INDICADORES (PARA ELES) DA CESSAÇÃO DA VIDA! Muitas expiações, pelo fogo ou pela fome, assim se verificaram naquelas épocas em que a ignorância dos homens servia para que muitos pagassem crimes cometidos em existências anteriores. Dissemos que os antigos quase ignoravam o estado cataléptico, porque somente alguns homens – mais adiantados – tinham dele noção; esta era, porém, muito vaga, porque, não a compreendiam, nem espiritual nem cientificamente. Os Apóstolos, os discípulos, a multidão em volta, a turba do escribas, dos fariseus e dos sacerdotes O DESCONHECIAM COMPLETAMENTE. Os Evangelistas, médiuns historiadores inspirados, reproduziram (debaixo da influência e da inspiração mediúnicas) tal qual Jesus as pronunciara, estas palavras: “Ide...e ressuscitai os mortos”. Empregaram as expressões de que dispunham para relatar os fatos, mas SEM POSSUÍREM O SEGREDO DO PENSAMENTO QUE JESUS OCULTAVA SOB AQUELAS PALAVRAS, AS QUAIS – PARA ELES COMO PARA OS OUTROS HOMENS – FICAVAM SUJEITAS AS INTERPRETAÇÕES HUMANAS. Já o dissemos e insistimos; todas as ressurreições de pessoas consideradas mortas pelos homens - tanto no Velho quanto no Novo Testamento da Bíblia Sagrada – não foram mais que a suspensão do estado cataléptico. Todos os indivíduos tidos por mortos estava nesse estado, não se havendo produzido neles o rompimento do laço que prende o Espírito ao corpo. Considerados por todos como mortos, mortos teriam eles ficado, realmente, sem socorro dos Espíritos Puros e dos Espíritos Superiores, os quais – com a sua vontade poderosa e com o seu poder magnético – assistiam tanto os Profetas (que inconsciente desse concurso, atribuíam à ressurreição do “morto” a uma ação direta de Deus) quando os Apóstolos (que também inconscientes dessa presença, atribuíam, todas as “ressurreições” a ação direta do próprio Jesus). Mas – quer com relação aos Profetas, quer com relação aos Apóstolos – os Espíritos Puros e os Espíritos Superiores agiam sob a direção do Cristo, pois, como sabeis e jamais podereis perder de vista: Jesus é O PROTETOR E GOVERNANTE SUPREMO DO VOSSO PLANETA. PRESIDIU A SUA FORMAÇÃO E DESDE ESSES TEMPOS IMEMORIAIS, O DIRIGE, COMO TAMBÉM A HUMANIDADE TERRENA, QUE SERÁ POR ELE CONDUZIDA À PERFEIÇÃO.



"IDE E PREGAI"
Espírito da Verdade - Alziro Zarur


Quanto a primeira, Jesus queria – antes de tudo – ensinar o apoio aos parentes, estreitando aos olhos dos homens os laços da fraternidade, da família e da pátria. Igualmente, queria evitar se agitassem desde logo os preconceitos dos judeus, que se julgavam OS ÚNICOS APTOS A RECEBER OS BENEFÍCIOS DE DEUS. Esses gritariam: ”Sacrilégio” se vissem os discípulos do Cristo falando de arrependimento e pregando a Palavra do Senhor aos que eles, os hebreu, consideravam excluídos pelo próprio Deus da parte da herança que lhes devia tocar. Assim a pregação dos gentios se faria mais tarde, a tempo e hora. Os samaritanos como sabeis, formavam seita dissidente do hebraísmo. E gentios eram TODOS OS QUE NÃO PROFESSAVAM A FÉ DOS JUDEUS. Quanto a segunda entendei: o Reino de Deus está próximo todas às vezes que o homem aceita os meios de chegar a esse reino. O Cristo ensinava aos homens as virtudes humanas, que lhes poderiam abreviar a série das provações terrenas. Portanto, O REINO DE DEUS ESTAVA PRÓXIMO PARA OS QUE LHE SEGUIAM OS ENSINAMENTOS. Ainda hoje, hoje mais do que então, Jesus – por nosso intermédio - diz aos verdadeiros cristãos: - O Reino de Deus está próximo porque não mais se vos apontam CAMINHOS INDIRETOS para chegardes lá. Não vos podeis mais extraviar, tomando FALSA DIREÇÃO. Servindo-se dos ESPÍRITOS DO SENHOR, que vos trazem a Nova Revelação. Ele vos mostra a estrada reta e contínua em que todos vos deveis entrar. Ele vos assinala previamente esta Revelação, os obstáculos que vos detiveram os passos até agora, e diz: - EVITAI-OS! EU VOS ESTENDO AS MÃOS PARA VOS AJUDAR A TRANSPÔ-LOS! E vos mostra os sítios de repouso, onde reporeis as forças gastas na jornada: a prece, o amor e a fé, praticados sinceramente e não apenas com os lábios. Mostra-vos a verdade, a vos clarear o caminho com o seu facho divino, caído o véu que, por tanto tempo, vos impedia de ver essa claridade libertadora do Evangelho, que restitui a vista aos cegos. Mostra-vos a esperança, a vos estender a mão e vos conduzindo ao lugar em que descansareis. E vos mostra o amor que, poderoso do vosso Deus, abrindo-vos as portas do santuário, pensando-vos as chagas, curando-vos as feridas; o amor que, no limiar da morada celeste; vos diz: VINDE TODOS VÓS, QUE CHAMEI DOS QUATRO CANTOS DO MUNDO E REPOUSAI DE TODAS AS VOSSAS DORES! Não vos equivoqueis quanto ao sentido destas palavras figuradas que acabamos de vos dirigir, e que a vossa inteligência pode facilmente compreender. O LUGAR EM QUE DESCANSAREIS é o espaço infinito, onde os Espíritos bem-aventurados gozam, numa eterna atividade, da alegria dos eleitos, QUE TODOS OS HOMENS SÃO CHAMADOS A GOZAR E DA QUAL TODOS GOZARÃO. Esse repouso, ou descanso, exprime a calma do Espírito que chegou ao termo de suas provações, mediante a comparação com um viajante extenuado, que alcançou o lugar em que repousará, depois da fadiga da marcha e dos rigores do sol. Mas, bem o sabeis, tanto para o Espírito que chegou ao fim de suas provações, como para aquele que percorre o caminho delas, O TRABALHO E NÃO A INÉRCIA NUMA CONTEMPLAÇÃO ETERNA, CONSTITUI A LEI IMUTÁVEL, DENTRO DA ETERNIDADE, NA CONDIÇÃO DE OBREIRO E SERVO DO PAI QUE TRABALHA SEMPRE, QUE CRIOU, CRIA E CRIARÁ INCESSANTEMENTE! Todavia, para o Espírito que chegou ao fim de suas provações, o trabalho não é o que é para vós. Ele encontra no trabalho uma alegria imensa, complemento da que lhe está prometida. O trabalho, para nós, é MIL VEZES MAIS SUAVE DO QUE, PARA VÓS, O REPOUSO INDOLENTE DA EXISTÊNCIA TERRESTRE.
"LIGAR E DESLIGAR"
Espírito da Verdade - Alziro Zarur
Os verdadeiros sucessores dos Apóstolos de Jesus podiam alcançar o s mesmos privilégios, COM A CONDIÇÃO DE ADQUIRIREM E MANTEREM A MESMA PUREZA, ASSIM É QUE AQUELES DENTRE VÓS QUE TENTAREM, COM TODAS AS SUAS FORÇAS, ELEVAR-SE AO SENHOR, PORÉM LIGAR E DESLIGAR NA TERRA CERTOS DE QUE LIGARAM E DESLIGARAM, IGUALMENTE, NO CÉU. Mas a acepção verdadeira, na qual a vossa humanidade deve entender essa faculdade, é a seguinte: homem não pode traçar linhas de conduta que o Senhor haja de seguir, nem, portanto, lhe ditar suas maneiras de ver. O Espírito encarnado, porém, tendo atingido, certo grau de elevação, pode e deve compreender de antemão, as vontades do Supremo Juiz. Eis por que, pelos atos humanos, o mesmo Espírito se encontra em estado de sentir, dentro de si mesmo, a sentença que será proferida e, pela sinceridade do arrependimento, a indulgência com que o Juiz sentenciará. Tal o sentido em que deveis entender aquelas palavras, que o orgulho humano falseou, fazendo-as imprimir um ato arbitrário (arrogando-se o poder de absolver ou condenar, concedendo ou recusando a absolvição, de perdoar ou não os pecados, não como simples declaração MAS COMO SENTENÇA PROFERIDA EM JULGAMENTO); um tráfico vergonhoso pela venda de indulgências, e não uma faculdade altíssima, de cujo uso aquele que tais palavras abusaram SENTIAM BEM, E SENTEM HOJE MAIS DO QUE NUNCA, SER INCAPAZES. Servindo-nos dos termos ligar e desligar, empregamos as expressões e as Escrituras adota, e que explicaremos de modo especial, quando chegar à ocasião. Os discípulos fiéis de Jesus eram Espíritos elevados que não se deixavam dominar pelo sentimento da animosidade pessoal e que, com segurança, julgavam do Espírito e não do homem, visto que se achavam em condições de apreciar (pela inspiração que recebiam sob a influência e a ação espirituais) o valor daqueles a quem se dirigiam. Se, portanto, encontravam Espíritos retos e humildes, eles os abençoavam exortando-os a seguir a trilha do único Mestre; e Jesus lhes aprovava o proceder. Se, ao contrario, se viam diante de Espíritos atrasados, cujas provas longe estavam de chegar a seu termo, rebeldes ao que eles pregavam, sacudiam contra esses a poeira que traziam nos pés, isto é, se afastavam, porque OS ESPÍRITOS DE ORDEM SUPERIOR NÃO SE JUNTAM AOS ESPÍRITOS CULPADOS E SOBRE ESTES DEIXAVA O SENHOR CAIR O PESO DA EXPIAÇÃO, POR MAIS DOLOROSA QUE TIVESSE DE SER; E AÍ ESTÃO OS FRUTOS DO ERRO DA IGREJA, APOIANDO-SE NAS PALAVRAS QUE JESUS DIRIGIA A ESPÍRITOS EM MISSÃO NA TERRA, ELA ACREDITOU PODER APOSSAR-SE DA HERANÇA DE INFALIBILIDADE QUE, NOS APÓSTOLOS APROVADOS, O ESPÍRITO SANTO VIERA SELAR, isto é, da infalibilidade que, por ordem do Senhor, lhes vinha da assistência, da inspiração, do amparo, da proteção, do concurso permanente dos Espíritos Superiores, esquecendo-se, entretanto de chamar a si a herança de santidade, de virtudes e de elevação moral por eles deixada. Pretendeu ela, portanto, fazer uso de armas que era incapaz manejar: ter em suas mãos – vazias da pureza das mãos dos Apóstolos fieis. E MUITAS VEZES MANCHADAS, A CHAVE DA MORADA DE TODA A PUREZA. Assim repeliu os eleitos e acolheu os repelidos. Voluntariamente cega, mergulhou cada vez mais nas trevas que o orgulho e confiança em si mesma geraram. Ela despertará, porém, neste final de ciclo: a trombeta do Juízo Final vai retumbar para ela nos quatro cantos do mundo. Os Anjos do Senhor aparecerão em sua glória, não do modo por que ela o diz, nas sua errôneas interpretações, mas na glória da pureza. E os discípulos fiéis do Cristo, reencarnados para acabarem a obra que começaram VIRÃO AGORA LIGAR E RELIGAR NA TERRA, E O SENHOR LIGARÁ E DESLIGARÁ NO CÉU, POIS DELES É TAL MISSÃO E O JULGAMENTO NÃO SE ACHARÁ INQUINADO DE NULIDADE! Coragem, pois, filhos da nossa Igreja – A IGREJA DO SENHOR – porque breve esta o tempo em que o Mestre e os discípulos aparecerão de novo entre vós e vossos olhos desvendados verão O JUSTO nas nuvens do céu, em que ao Anjos (isto é, os Espíritos purificadores) descerão à terra, para vos estenderem seus braços fraternais. Entoai cantos de alegria, rejubilai, porque essa hora já se aproxima!